Please reload

Posts Recentes

Acordei PCD, e agora?

November 29, 2016

1/1
Please reload

Posts Em Destaque

Propósito de vida para PcD

May 17, 2018

Antigamente, a PcD tinha só um propósito de vida, que era o de viver cercada e protegida pelos familiares; eram até aposentadas por invalidez, por não haver tantos recursos como existem atualmente. Nos dias de hoje, o propósito de vida das PcDs é outro. E, quando as PcDs conseguem identificar os seus propósitos de vida, tudo flui melhor: fazem escolhas mais acertadas, desempenham melhor o seu papel no mundo, conquistam paz e felicidade e, principalmente, a tão sonhada LIBERDADE.

 

Desde a infância, as PcDs têm curiosidade em saber como é a vida fora de casa, porém muitas famílias as privam de viver. Imaginem então no trabalho, como serão? No entanto, conforme as PcDs vão crescendo e amadurecendo, as pessoas em redor ou se fecham para conversas com as PcDs, ou acontece o contrário: pessoas de fora da família são as que mais ajudam as PcDs a se relacionarem com o mundo. Esse olhar sobre o mundo faz com que olhem para dentro de si mesmas, e queiram entender a razão pela qual são como são, e porque ainda estão aqui na Terra. E elas querem saber de que forma podem se tornar realizadas.

 

As PcDs buscam seus significados, seus valores e seus propósitos, até mesmo os de terem nascido ou de terem se tornado PcDs. Datas comemorativas como aniversários e casamentos são momentos que PcDs comemoram como se tivessem “ganhado na loteria”; cada ano que se passa e se renova é motivo para celebrarem. Elas sinalizam que podem alcançar um ponto mais alto da sua trajetória, ganhando experiências e aprendizados, e iniciam um novo ciclo, com novas buscas.

 

Então, para as PcDs serem mais felizes, é necessário que elas descubram seu propósito de vida. E a maioria delas não consegue se encontrar; e as outras pessoas também não ajudam. Pode-se pensar em cinco exercícios para ajudá-las a desvendar o seu propósito. Esses cinco assuntos devem ser um encontro da PcD consigo mesma. Quantas vezes as PcDs têm esse momento de reflexão? E quantas vezes é exatamente disso que precisam para se entenderem? Para que esse entendimento aconteça, basta reservar alguns minutos para ficar sozinha, sem interrupções. Coloque uma música relaxante, acenda um incenso, uma vela e relaxe por alguns instantes. O fundamental é sentar-se confortavelmente, com a coluna reta, e concentrar-se nas perguntas, ouvindo a sua voz interior para achar as respostas.

 

Veja as perguntas que vão ajudar as PcDs – e as pessoas ao seu redor - a identificar seu propósito de vida.

Qual é o sentimento da humanidade em relação à PcD? E como você contribui para melhorar?

 

Essa primeira questão é muito valiosa e complexa. O que alguém considerado “normal” faz para ajudar as PcDs? Pode ser em total silêncio, ou é preciso saber ouvir PcDs e suas dificuldades? Críticas construtivas são sempre bem-vindas. Reflita, por exemplo, sobre o que a humanidade precisa aprender para evoluir: ter mais compaixão e tolerância. Pense também nas lições que vocês podem aprender com as PcDs: elas ensinam como sobreviver em um meio tão intolerante, e absorver o que há de bom para seu crescimento. Em alguns pontos, esses caminhos certamente vão se encontrar, e vocês descobrirão como podem contribuir, de uma forma que lhes trará alegria por estar ajudando alguém. Entender o sentido de vida de uma PcD não é apenas falar sobre seu problema: pode influenciar a sua família, os amigos, a vizinhança, a população toda a humanidade!

 

Cada PcD tem seu papel no universo, e mostra a capacidade que tem em relação a viver e a lidar com as diferenças. Assim, a primeira tarefa é introduzir as PcD no mundo ao qual ainda não pertencem e estimulá-las a viver e compartilhar suas experiências com as pessoas.

 

Dá para aproveitar melhor os talentos de PcDs?

 

Toda PcD é boa em alguma atividade: fotografar, cozinhar, cuidar de crianças, escrever, praticar alguma modalidade esportiva, etc. Mas, geralmente, o que faz as PcDs desacreditarem de seus talentos é sua baixa autoestima, pois as outras pessoas não acreditam muito na capacidade que elas têm. Para alguns, as PcDs precisam não apenas se sair bem em algo, têm também que estar sempre confirmando suas habilidades e competências. Porém, para ter real valor, uma atividade deve trazer motivação e alegria, não somente a você, mas também para a PcD, para que ela se sinta útil e valorizada.

 

Faça a pergunta, então: que talentos as PcDs possuem que podem proporcionar verdadeiro orgulho e prazer para elas e para outras pessoas? Anote e deixe esse lembrete sempre à vista. E, quando você vir uma PcD em dificuldade, ajude-a. Avalie, também: se você utiliza suas aptidões com frequência para ajudar PcDs é porque você está no caminho certo. Se a resposta for negativa, procure na sua rotina quais oportunidades existem para ajudar PcDs e coloque-as em prática.

 

De que forma você pode ajudar PcDs?

 

Ajudar as PcDs a descobrir o sentido da sua vida nada mais é do que entender melhor quem você é e quem a PcD é. O que ela pode oferecer a si mesma e às demais PcDs pelo mundo afora. E o segredo para este entendimento está, principalmente, em passar mais tempo em companhia de PcDs e perceber/sentir a realidade delas perante a sociedade. Buscar um propósito mirando somente a vida das pessoas consideradas “normais” impede de entrar em contato com as emoções e com as vidas de PcDs. As respostas mais verdadeiras vêm do coração, da intuição e da vontade que existe dentro de cada pessoa em ajudar o próximo.

 

Comece avaliando, numa escala de zero a dez: como você realmente se sente quando ajuda uma PcD a se sentir viva e bem diante a sociedade? Zero representa um cenário muito pessimista em querer ajudar o próximo, e dez quer dizer uma experiência proveitosa e com felicidade em estar fazendo isso. Agora vá mais fundo e questione: o que faz você se arrepiar e o coloca em sintonia com a vida por estar ao lado de uma PcD? Por exemplo: ajudar uma PcD a conseguir emprego. Será que isso irá plantar sementes em seus corações, para chegar a uma situação que a deixará realizada?

 

Afinal, onde você pode ajudar PcD?

 

As pessoas sempre andam muito ocupadas em seu próprio emprego buscando reconhecimento, promoções, um salário melhor. Porém, há muito desgaste durante a jornada, o que geralmente se sobrepõe à satisfação em realizar as tarefas. Nesse caso, as pessoas entram no “piloto automático” e esquecem o que as fez escolher aquele trabalho. E assim acabam esquecendo de ajudar o próximo, e de ajudar as PcDs a também conseguirem cargos melhores, promoções e salários maiores. As pessoas só se preocupam a ajudar as PcDs quando elas mesmas se tornam PcDs, seja por causa de acidentes ou de outra forma, e se veem como PcDs também.

 

Como estar presente de corpo e alma em tudo o que faço?

 

A descoberta de um propósito para uma PcD exige foco em cada uma das situações em que ela vive, para ela poder perceber e sentir como as coisas se desenrolam, as sensações que provocam e as consequências que geram. Torne um hábito vivenciar cada etapa do dia a dia de cada PcD presente na sua vida. Por exemplo: nas reuniões de trabalho, em conversas com amigos, ou até mesmo no meio social. Esteja sempre atento ao que está acontecendo naquele momento, principalmente em relação às PcDs, e ajude-as se for preciso.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags